A Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) desenvolveu dois equipamentos para limpar lambaris.
O objetivo é facilitar o processo delimpeza dos peixes pelos produtores e agregar renda com a venda de petiscosde lambari frito. As máquinas para retirada de escamas e vísceras foramdesenvolvidas pela APTA em parceria com a empresa Branco Máquinas e odepósito da patente já foi realizado. Os equipamentos já estão disponíveis no mercado.  

A descamadeira, um equipamento de aço inox que retira as escamas do peixe, tem capacidade para processar 18 kg a cada seis minutos. Após passar por esse processo, o peixe vai para a evisceradora, usada para cortar a barriga e retirar as vísceras. O equipamento pode processar até 250 kg por dia do peixe. "Isso representa um grande avanço para a consolidação do lambari no mercado de petisco, pois uma pessoa bem treinada consegue limpar manualmente, no máximo, 20 kg por dia", afirma Sussel.

A facilidade do processo viabiliza o comércio do peixe como petisco, o que agrega renda ao pequeno piscicultor. Para se ter ideia, o preço pago para o produtor pela unidade de lambari para isca viva é de R$ 0,16. Na produção de petisco, esse valor deve chegar a R$ 10, por uma porção de 250 gramas.

 

Mídia

Canal Rural

 

Globo

 

Vídeo

 

Contato

Sua mensagem foi enviada com Sucesso!