APTA - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios

Notícia

 

20/01/2017
Pesquisa na pós-graduação IAC avalia manejo do solo na cultura da cana
Considerando o solo como a base para a agricultura, a engenheira agrônoma Camila Cassante de Lima, em sua pesquisa no mestrado da Pós-Graduação em Agricultura Tropical e Subtropical do Instituto Agronômico (IAC-APTA), em Campinas, buscou conhecer quais tipos de preparo do solo permitiriam maior crescimento do sistema radicular da cana-de-açúcar, relacionando este crescimento com a qualidade física do solo e a produtividade da cultura. Os resultados do estudo, concluído em abril de 2016, indicam que o sistema de preparo canteirizado profundo, no primeiro ano de implantação, melhorou a qualidade física do solo na área do canteiro. “Houve redução da densidade do solo e aumento da porosidade total e da macroporosidade, eliminando os impedimentos físicos do solo à penetração das raízes”, afirma Camila.

Orientada pela pesquisadora do IAC, Isabella Clerici De Maria, Camila analisou os tipos de preparo do solo canteirizado profundo e preparo convencional em área total. O projeto foi realizado em um solo denominado Nitossolo Vermelho eutrófico latossólico. A pesquisa, iniciada em 2014, teve financiamento da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

Os sistemas canteirizados de produção agrícola devem ser considerados na tomada de decisão sobre o manejo a ser adotado para culturas agrícolas, pois separam zonas destinadas ao crescimento do sistema radicular da cultura e que não sofrem os efeitos do tráfego agrícola. Camila afirma que a utilização da canteirização deve proporcionar maior crescimento do sistema radicular, pois delimita as faixas que são compactadas pelo trânsito de maquinários agrícolas.

Segundo a pós-graduada, com a intensificação da mecanização na colheita da cana-de-açúcar, tem ficado evidente a compactação do solo ao longo do ciclo da cultura, por isso, a constante busca de alternativas para melhorar o preparo do solo que antecede a implantação dos canaviais. A finalidade é romper a camada compactada, favorecer a penetração de água da chuva e aprofundar o sistema radicular da cultura.

“O sistema de preparo canteirizado para cana-de-açúcar no espaçamento duplo entre plantas surgiu como uma alternativa de controle de tráfego, pois delimita a área na superfície do solo onde passam as rodas de veículos e implementos na faixa de 1,5 m entre as linhas de cana-de-açúcar, mantendo preservada uma faixa de 0,90 m para favorecer o desenvolvimento do sistema radicular da cultura e a infiltração de água”, explica a pesquisadora.

De acordo com Camila, estudos nessa área possibilitam o desenvolvimento e a avaliação de técnicas que buscam fornecer melhores condições químicas e físicas ao solo para o desenvolvimento das raízes, permitindo maior crescimento e aprofundamento do sistema radicular e, consequentemente, aumentando a produtividade e a longevidade das soqueiras.

Atualmente, o modelo de preparo convencional do solo se baseia em um grande número de operações agrícolas realizadas em área total, que se iniciam com a destruição física da soqueira, o preparo do solo, incluindo uma ou mais operações de aração e gradagem pesada e ainda há o tráfego agrícola para correção e adubação do solo e eliminação de pragas. “Desta forma, há primeiramente a pulverização da camada superficial do solo em área total e, posteriormente o rearranjo da sua estrutura, promovendo a compactação e, por conseguinte, redução da qualidade estrutural dos solos submetidos ao preparo convencional”, diz a pesquisadora.

Camila explica que as técnicas agronômicas devem ser definidas de acordo com a morfologia e a dinâmica de crescimento do sistema radicular da cultura. “Em cultivos com sistemas radiculares muito densos, deve ser reduzida a densidade de plantio para que não ocorra competição entre as plantas por recursos hídricos e nutricionais”, esclarece.

O local de aplicação dos fertilizantes e sistemas de irrigação também deve ser definido conforme a dinâmica de crescimento de raízes. “As operações de cultivo devem ser definidas de modo a eliminar os impedimentos físicos do solo à penetração das raízes, delimitando zonas para a passagem dos pneus dos maquinários agrícolas e evitando a compactação”, diz.

A ex-aluna da Pós-Graduação em Agricultura Tropical e Subtropical do IAC afirma que um dos principais problemas do solo está relacionado à compactação. “Nesse processo ocorre o decréscimo de volume de solos não saturados, quando uma determinada pressão externa é aplicada pelo tráfego de máquinas agrícolas, equipamentos de transporte ou animais, e agravada se as operações são realizadas com solo úmido”, diz.

Dentre os principais efeitos da compactação estão o aumento da densidade do solo e da resistência do solo à penetração das raízes e a redução do espaço poroso, com consequente redução da condutividade hidráulica do solo, comprometendo a infiltração de água, tornando o solo mais suscetível à erosão.

“O tráfego controlado é um componente do sistema de agricultura de precisão, que define os locais destinados para o trânsito dos rodados, concentrando o deslocamento das máquinas em locais pré-definidos, condizentes com o tamanho das máquinas de cada propriedade”, explica.

Para o secretário de Agricultura do Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim, o curso de pós-graduação do IAC colabora para o desenvolvimento do agronegócio, à medida que contribui com a formação profissional. “Usar do conhecimento das instituições paulistas para qualificar pessoas é uma das orientações do governador Geraldo Alckmin”, diz

Assessoria de Imprensa – IAC

19 2137-0616/0613

|Voltar|