APTA - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios

Notícia

 

23/03/2017
IB possui um dos únicos laboratórios de microscopia eletrônica do Estado de São Paulo
Cerca de 200 mil diagnósticos são realizados anualmente pelo Instituto Biológico (IB-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. São 540 análises por dia, aproximadamente, para detectar pragas e doenças, resíduos de agrotóxicos em alimentos, solo e água. Para atingir números tão expressivos, o IB conta com laboratórios e equipamentos de ponta, como o microscópio eletrônico de transmissão utilizado na detecção de vírus em plantas e animais. Cerca de 600 análises por ano são realizadas com o microscópio eletrônico de transmissão do IB, com amostras recolhidas em todo o País.

O IB é uma das poucas instituições do Estado que possuem o equipamento que compõe o Laboratório de Microscopia Eletrônica do instituto. Com capacidade para aumentar uma partícula de vírus em 500 mil vezes – enquanto os microscópios comuns aumentam mil vezes – o equipamento é utilizado em pesquisas para sanidade animal e vegetal no instituto, em projetos de mestrado e doutorado dos alunos da Pós-Graduação do IB e de outras instituições e para prestação de serviços.

O Laboratório de Microscopia Eletrônica do IB é certificado pela ISO 17025, norma relacionada à qualidade emitida pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

“Com apenas uma gota de amostra é possível identificar todos os tipos existentes de vírus. Além da alta resolução, o microscópio eletrônico é ainda muito rápido. Por meio da técnica de contrastação negativa (preparo rápido) conseguimos obter o resultado das análises em 10 minutos”, explicou Márcia Helena Braga Catroxo, pesquisadora do IB.

Segundo a pesquisadora, o equipamento possibilita o uso de outras técnicas como a técnica de inclusão em resina, seguida de cortes ultrafinos, que permite estudar o comportamento do vírus no interior das células do hospedeiro, determinando não só a infecção como também o curso da doença nas criações. É possível também utilizar as técnicas imuno-específicas (imunomicroscopia eletrônica e imunomarcação com partículas de ouro coloidal) que permitem sorotipar cepas virais, detectar e identificar antígenos de estruturas induzidas por vírus e sua localização nas células infectadas.

Com o equipamento, o Instituto Biológico consegue detectar agentes virais em todas as espécies animais, inclusive de animais silvestres, pets e aquáticos por meio da visualização da morfologia viral. “Uma vez que identificamos o vírus no interior da amostra, exclui-se a possibilidade de obtenção de resultados falso-positivos”, afirmou Márcia.

Além de auxiliar nas pesquisas do IB e de seus alunos da Pós-Graduação, o microscópio eletrônico é utilizado para diagnósticos solicitados por clínicas e hospitais veterinários, criadores e parques zoológicos e ecológicos. O IB realiza cerca de 600 análises por ano para o público externo ao instituto, com amostras recolhidas em todo o País.

“Poucas instituições possuem o equipamento, pois além de ele ser muito caro, sua manutenção também tem um custo elevado. Além disso, faltam técnicos no Brasil capacitados para operar este tipo de microscópio”, contou Márcia.

Os interessados podem enviar as amostras para análise pela Triagem do Instituto Biológico. O envio deve estar de acordo com as normas de recebimento estabelecidas pelo IB, contidas neste link (http://www.biologico.sp.gov.br/exames_animal.php).

Acreditação

De acordo com Antonio Batista Filho, diretor-geral do IB, o instituto tem a maioria do seu escopo acreditado pela norma ISO 17025. “O governo do Estado de São Paulo investiu, nos últimos anos, em infraestrutura e modernização dos laboratórios. Isso permitiu a acreditação pelo Inmetro e credenciamento pelo Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), certificando a qualidade de nossos serviços”, explicou.

Os Centros de Pesquisa e Desenvolvimento de Sanidade Animal e Vegetal do IB agregam unidades laboratoriais que realizam ensaios para diagnóstico de sanidade animal e vegetal. Ao todo, as unidades laboratoriais realizam 40 tipos de ensaio para pragas e doenças em animais e planta. O Centro oferece, aproximadamente, 350 tipos de exames, realizando 162 mil ensaios, por ano, em média, solicitados, principalmente, por órgãos oficiais, como as Defesas Agropecuárias e o Mapa.

Atualmente, todas as unidades laboratoriais do IB em São Paulo, Desacalvado e Bastos estão acreditadas pela norma ISO 17025. Os laboratórios da unidade do instituto em Campinas estão em vias de conseguir a acreditação. A previsão é que isso ocorra em 2017.

“A acreditação do Inmetro é fundamental para a prestação e serviços realizados pelo IB. Ela permite que o instituto expanda sua atuação na área de diagnóstico, uma recomendação do governador Geraldo Alckmin”, destacou Arnaldo Jardim, secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.

Por Fernanda Domiciano

Assessoria de Imprensa – APTA

(19) 2137-8933

|Voltar|