APTA - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios

Notícia

 

11/05/2017
Está no ar segunda temporada de programa de TV sobre aquicultura apresentado por pesquisador da APTA
Primeiro programa de TV sobre aquicultura exibido no País, apresentado pelo pesquisador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Fábio Sussel, está com sua segunda temporada em exibição. Os episódios de cunho técnico têm o objetivo de levar novas tecnologias para quem produz peixes e camarões e informar aos consumidores que a aquicultura é uma atividade tecnificada e sustentável.

Devido à boa audiência da primeira temporada e a importância da divulgação de informações técnicas, Sussel foi convidado a continuar apresentando o programa. Os episódios foram gravados nos meses de setembro e outubro de 2016 e começaram a ser vinculados em janeiro deste ano.

O programa “Aqua Negócios”, criado e registrado pela Fish TV, tem o intuito de divulgar tecnologias geradas pelas instituições de pesquisa para o público em geral. A segunda temporada do programa conta com 12 episódios ao total, dos quais, dez já foram ao ar. Eles são veiculados todas as segundas-feiras, às 21h30, no canal Fish TV e ficam disponíveis, gratuitamente, no site da Fish TV, no link: http://www.fishtv.com/programas/aqua-negocios/a-importancia-da-ambiencia-na-aquicultura-2838

A intenção do programa é abordar as vantagens do pescado cultivado, que envolve a produção de peixes, camarões, ostras e algas, por exemplo. Segundo Sussel, a população em geral desconhece as vantagens do pescado cultivado frente à pesca extrativista. “A população dos grandes centros vê o peixe no mercado e a maioria tem a ideia de que ele veio do rio ou do mar. O objetivo do programa é mostrar que praticamente não temos mais peixes em nossos estoques naturais e que incentivar a pesca extrativista não tem sentido, quando falamos em sustentabilidade e segurança alimentar”, afirma.

A primeira temporada estreou em janeiro de 2016 e contou com sete episódios, que tratavam de temas como aquicultura x pesca comercial, tilapicultura, lambaricultura, pirarucu, sanidade em tilapicultura e mexilhões e vieiras. Eles ainda encontram-se disponíveis no site da emissora.

Experiência

Fábio Sussel possui ampla experiência com aquicultura. É zootecnista formado pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), no Paraná, com mestrado na área de nutrição de peixes pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp – Botucatu) e doutorado também em nutrição de peixes pela Universidade de São Paulo (USP – Pirassununga).

A paixão pelos peixes surgiu ainda na infância, em suas pescarias. Desde que ingressou na APTA, Sussel desenvolve pesquisas na área de piscicultura. Antes de ingressar na instituição, atuou profissionalmente em fazendas de camarão marinho, de criação de peixes nativos e na indústria de ração animal.

Atualmente, o pesquisador lidera estudos com lambari e colabora em projetos de pesquisa com camarão de água doce, uso de probióticos na produção de tilápias e na introdução do sistema de aquaponia pela APTA no Estado de São Paulo, com a integração da produção de peixes e hortaliças.

Além das pesquisas, o pesquisador da APTA se dedica à transferência de tecnologia ao produtor e à população, por meio do atendimento à imprensa e a realização e participação de cursos, palestras e eventos. “O que conta ponto para a carreira de pesquisador científico é a publicação de artigos em revistas especializadas, de difícil leitura para a população em geral. É claro que não podemos deixar de lado a publicação desses artigos, pois fazem parte dos processos da ciência, mas também considero muito importante fazer com que as informações cheguem para a sociedade”, afirma o pesquisador.

Para o secretário de Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, o Estado de São Paulo se destaca quando o assunto é peixe cultivado, seja pelos altos volumes produzidos ou pelo uso intensivo de novas tecnologias.  “O Estado é o maior produtor brasileiro de tilápias. De acordo com recentes informações da FAO, tanto no Brasil quanto no mundo, o pescado oriundo da aquicultura já é maior que os volumes capturados pela pesca comercial. Atitudes como a do pesquisador, Fábio Sussel, seguem a orientação do governador Geraldo Alckmin de aproximar a população e os produtores das instituições de pesquisa paulista”, afirma.

Por Giulia Losnak (estagiária)

Assessoria de Imprensa – APTA

19 2137-8933

|Voltar|