APTA - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios

Notícia

 

21/07/2017
Projeto em Ribeirão Preto e Piracicaba beneficia qualidade da produção de leite na agricultura familiar
A produção de 674 mil litros de leite em 240 propriedades está sendo monitorada nas regiões de Ribeirão Preto e Piracicaba com Projeto de Qualidade do Leite. A ação é iniciativa da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo por meio do Instituto de Zootecnia (IZ-APTA), da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), em parceria com a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati). O objetivo é conter os casos de mastite em vacas leiteiras.

Atualmente, o Projeto conta com 60 propriedades rurais de pequeno e médio porte monitoradas por técnicos da Cati e outras 180 propriedades avaliadas sem assistência técnica treinada. Inclui a capacitação de produtores no manejo correto dos animais e na qualidade do leite, objetivando o aumento da produção, da produtividade, a gestão da propriedade e a transferência de tecnologia.

Durante os quatro primeiros meses, não houve diferença entre as fazendas com assistência técnica treinada e as sem. Após o período, 59% do grupo não-treinado foi rejeitado em relação aos parâmetros de qualidade. No grupo com assistência técnica treinada, 49% foi rejeitado.

O Projeto gradualmente está garantindo melhoras na produção e renda do leite, reduzindo os números de contagem de células somáticas (CCS) e contagem bacteriana total (CBT), que causam, por exemplo, mastite nas vacas.

O médico veterinário do IZ, Luiz Carlos Roma Júnior, exaltou os ganhos primários da parceria entre APTA e Cati. “As primeiras análises mostraram bons resultados, contribuindo para os pequenos produtores rurais melhorarem a qualidade do leite e, consequentemente, terem mais produção e renda.”

O Projeto monitorou em um ano o total de 1300 vacas distribuídas em 60 propriedades com assistência técnica treinada. Foram mais de 302 mil litros monitorados em Piracicaba e 372 mil litros em Ribeirão Preto, garantindo produção de leite com qualidade. Até o final do ano, planeja-se a implantação e expansão do programa para as regiões de Itapetininga e Guaratinguetá.

A agricultura familiar é responsável por grande parte da produção leiteira do Brasil, porém, é necessário se adequar às exigências das indústrias em qualidade mínima para a sua maximização de produção e o aumento das exportações. De acordo com o Instituto de Economia Agrícola (IEA), o Estado de São Paulo produziu 1 trilhão de litros de leite do tipo A e B em 2016.

Por Vinicius Matheus

|Voltar|