APTA - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios

Notícia

 

27/07/2017
Nome de pesquisadora do IB é usado para descrever novo gênero de ácaro associado a granjas de postura
A pesquisadora do Instituto Biológico (IB-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Edna Clara Tucci, teve seu nome utilizado para descrever um novo gênero de ácaro associado a granjas de postura, o “Tuccioglyphus”. O novo gênero foi descoberto por um grupo de pesquisadores do Laboratório de Acarologia do Centro Universitário Univates, do Rio Grande do Sul, da University of Michigan, dos Estados Unidos, e da Tyumen State University, da Rússia.   O novo gênero foi descrito em um artigo publicado na revista científica Zootaxa, em março de 2017. A descoberta do novo ácaro ocorreu a partir de coletas em granja de postura no Rio Grande do Sul.

A pesquisadora do IB disse que o papel do Tuccioglyphus na fauna de artrópodes encontrados no ambiente avícola ainda precisa ser estudado. “Sabemos que ele não é um ácaro hematófago, ou seja, que não suga o sangue das aves. Ele está associado ao ambiente da granja, mas sua função é ainda desconhecida”, explica Edna.

De acordo com a pesquisadora, a identificação das espécies que habitam um determinado ambiente é o primeiro passo para qualquer tipo de pesquisa, que servirá de base para estudos de biologia, ecologia e controle. "Os estudos taxonômicos são de extrema importância para a classificação e para a correta identificação desses espécimes”, afirma.

Existe uma grande diversidade de espécies de ácaros em uma granja, segundo Edna. Alguns deles são benéficos e atuam como inimigos naturais das moscas, alimentando-se dos ovos delas e desempenhando um importante papel de controle desses insetos nas granjas. “Outras espécies de ácaros encontrados são aqueles associados à poeira, muito comuns em ambiente domiciliar. Existem também os ácaros hematófagos que são parasitas obrigatórios das aves, que se alimentam do sangue desses hospedeiros para o desenvolvimento do seu ciclo biológico”, diz.

O Instituto Biológico é referência brasileira em pesquisas com sanidade em áreas de postura, por meio do Laboratório de Parasitologia e da Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de Bastos. O Instituto tem atuação próxima ao produtor rural e técnicos de campo e promove cursos, palestras, encontros, atendimentos, visitas técnicas e realiza diagnósticos e orientação de controle. “Não existem centros de pesquisa que atuem desta forma ampla, no que se refere às pragas avícolas”, afirma Edna.

Carreira

O nome de Edna Tucci foi escolhido, segundo os pesquisadores, em reconhecimento a suas pesquisas com artrópodes parasitas que atacam galinhas em granjas de postura do Brasil.

“Quando desenvolvemos uma pesquisa sempre buscamos contribuir para o conhecimento científico com trabalhos de relevância e resultados que pudessem ser aplicados pelos produtores na avicultura de postura. O reconhecimento dos pesquisadores nacionais e internacionais, por meio dessa homenagem, foi muito gratificante”, comemora Edna.

Edna é pesquisadora do Instituto Biológico há 32 anos, local em que desenvolve pesquisas relacionadas à biologia, ecologia e controle de pragas avícolas. A pesquisadora possui graduação em Biomedicina pela Universidade de Santo Amaro, Mestrado em Parasitologia pela Universidade de São Paulo (USP) e Doutorado no mesmo tema pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

A pesquisadora comenta que iniciou seus trabalhos na área há 30 anos, devido a ausência de pesquisas relacionadas ao setor, com grande importância econômica para o agronegócio. Na década de 50, teve início um processo de modernização da avicultura de postura, com a implantação dos sistemas de confinamento, com maior produtividade e custos reduzidos. “Se por um lado isso trouxe vantagens econômicas aos produtores, por outro possibilitou a instalação de inúmeros artrópodes, alguns deles parasitas, causadores de danos às aves”, afirma.

 Ao longo de sua carreira como pesquisadora do IB, Edna publicou 20 artigos científicos, um livro e escreveu três capítulos de livros. Teve 74 resumos publicados em anais de congresso e 89 trabalhos publicados. Em 2012, foi agraciada com o Prêmio de Pesquisa Científica na área de Sanidade, oferecido pela Associação Paulista de Avicultura.

Por Fernanda Domiciano

Assessoria de Imprensa – APTA

(19) 2137-8933


 

|Voltar|