APTA - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios

Notícia

 

22/08/2017
Projetos de pesquisa em nutrição e sanidade animal são apresentados pela Apta a multinacional Trouw Nutrition
As linhas e projetos desenvolvidos pelo Instituto de Zootecnia, Instituto Biológico, Instituto de Pesca e unidades regionais da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta Regional), na área de nutrição e sanidade animal, foram apresentadas para representantes da multinacional holandesa Trouw Nutrition, uma das líderes globais na área. O encontro reuniu os responsáveis pelos Núcleos de Inovação Tecnológica (NIT) e pesquisadores da Apta, IZ, IB e IP, ligados à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, o diretor presidente e a equipe técnica da Trouw Nutrition, em 10 de agosto de 2017, na Sede da Apta, em Campinas.

O objetivo foi aproximar institutos e empresa e apresentar linhas de pesquisa e projetos que podem render trabalhos em conjunto. “A Trouw Nutrition já está acostumada a trabalhar com instituições de pesquisa e valoriza muito a inovação tecnológica. O encontro foi importante para mostrarmos o interesse dos institutos em trabalhar com conjunto com a iniciativa privada para desenvolvimento de novos produtos e processos”, afirmou Gisele Anne Camargo, diretora da Rede NIT-Apta. A Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa do Agronegócio (Fundepag) também participou do encontro.

“Alguns projetos apresentados nos chamaram mais atenção e certamente temos interesse em avaliá-los com mais profundidade para desenhar os próximos passos. Temos parcerias com 40 centros de pesquisa no mundo e, logicamente, Apta, IZ, IP e IB poderiam ser parceiros no Brasil dos projetos de pesquisa globais que desenvolvemos”, afirmou Stefan Mihailov, diretor presidente da Trouw Nutrition.

Para Renata Helena Branco Arnandes, diretora do IZ, os institutos apresentaram durante a reunião projetos focados no que interessa à empresa. “Daqui surgiram grandes ideias e já conseguimos agendar outros encontros para tratar de temas específicos”, disse. Ana Eugênia Carvalho Campos, responsável pelo NIT-IB também avaliou o encontro como positivo. “Conseguimos entender a demanda deles, que é totalmente voltada para a inovação, e tivemos a oportunidade de mostrar de forma customizada como podemos contribuir com essas demandas. Tenho certeza que vamos colher bons frutos”, comemorou.

A Trouw Nutrition Brasil desenvolve, produz e comercializa alimentos para várias espécies de animais como camarões, peixes, bovinos de corte e de leite, equinos, aves, suínos, ovinos e cães. A companhia conta com sete fábricas localizadas nos Estados de São Paulo, Mato Grosso, Ceará e Piauí. Presente em 35 países, com vendas em 80 países, a multinacional é uma das líderes globais em nutrição animal. Com foco em ciência e tecnologia, possui 10 centros de pesquisa em países como Holanda, Noruega, Espanha, Canadá e China.

Novo momento para parcerias

O novo Marco Legal de Ciência, Tecnologia e Inovação (Lei 13.243/2016), a Lei Paulista e Inovação (nº 1.049/2008), a assinatura da Resolução nº 12/2016 pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo e o estabelecimento dos NIT, no âmbito da Apta, formam um novo arcabouço legal que desburocratiza, incentiva e deixam claras as regras para a relação entre os institutos e o setor privado.

A nova legislação regulamenta a atuação dos NIT e define os critérios da participação do pesquisador na inovação desenvolvida. Segundo Orlando Melo de Castro, é agora permitida a parceria em projetos conjuntos com a utilização em comum de espaços de pesquisa e laboratórios e a participação com exclusividade do direito de uso de patente e propriedade intelectual. “É uma parceria de ganho a ganho. As instituições, empresas e sociedade saem ganhando com esse processo”, explicou.

Para apresentar esse novo modelo, a Apta tem realizado diversas ações de aproximação com a iniciativa privada. Em outubro de 2016, por exemplo, realizou encontro com empresários do setor de proteína animal. Em março de 2017, promoveu um segundo evento nessa linha, com empresas ligadas às cadeias agrícolas.

Mihailov participou justamente do evento com empresários da agropecuária e após conhecer os institutos, linhas de pesquisa e nova legislação resolveu aproximar empresa e pesquisadores. “O novo mecanismo legal permite que institutos, pesquisadores e iniciativa privada trabalhem de forma clara, com contrapartida que pode remunerar todos os envolvidos. A Trouw Nutrition, por meio da Bellman, já tem uma parceria muito forte com o Polo Regional de Colina da Apta. Podemos estender essa relação”, afirmou.

Para Arnaldo Jardim, secretário de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, o estabelecimento desses critérios é um salto no fomento ao agronegócio, pois normatiza os instrumentos jurídicos que facilitam as relações entre os institutos e a sociedade, assim como é praticado nos países que mais inovam no mundo, como Estados Unidos, Coréia do Norte e Japão.

“A interação entre institutos de pesquisa e iniciativa privada precisa de normas claras e fáceis, pois isso resultará na adoção de novas tecnologias, produtos e processos pelo setor produtivo. As novas legislações suprem esta necessidade. A interação entre órgãos públicos e o setor privado é incentivada pelo governador Geraldo Alckmin. A Resolução nº 12, assinada pela Secretaria de Agricultura, está servindo de modelo para outras Pastas”, afirma Arnaldo Jardim.

Por Fernanda Domiciano

Assessoria de Imprensa – APTA

|Voltar|