APTA - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios

Notícia

 

21/09/2017
Museu de Pesca sedia debate sobre desafios da pesca esportiva no Brasil
Os desafios para o desenvolvimento do setor da pesca esportiva no Brasil estiveram no centro do debate do 1º Encontro de Pesca Esportiva do Litoral Paulista, realizado no Museu de Pesca de Santos, em 16 de setembro de 2017. O evento, que marcou o encerramento da 14ª Semana do Peixe, reuniu cerca de 60 pessoas no espaço do Instituto de Pesca (IP-Apta), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, que puderam acompanhar um ciclo de palestras sobre o tema, além de participar de atividades recreativas, como a demonstração prática de técnicas de arremesso básico de baitcasting e fly fishing.

“Temos uma das maiores biodiversidades do mundo e espécies que não existem em nenhum lugar do planeta. Podemos nos tornar a maior vitrine da pesca esportiva como modalidade e impulsionar o turismo nas regiões onde se permite sua prática”, afirmou Antonio Carlos Ferreira de Araújo, presidente da Associação Nacional de Ecologia e Pesca Esportiva (Anepe), durante o encontro.

Antonio Carlos destacou que o setor da pesca esportiva gera receita anual na ordem de R$ 3 bilhões no Brasil. Entretanto, o valor ainda é baixo se comparado com outros países onde a pesca esportiva é reconhecida. Nos Estados Unidos, por exemplo, este mercado movimenta cerca de R$ 115 bilhões ao ano.

Atualmente, estima-se que o Brasil tenha cerca de 8 milhões de pescadores esportivos, mas a falta de incentivo e investimento tornam a atividade pouco rentável e carente de desenvolvimento econômico-ambiental.

Para Rodrigo Morelli e Willian Miyata, apresentadores do programa Saltwater do canal FishTV, que participaram do encontro, os desafios remetem também à falta de conscientização da importância da pesca esportiva não apenas para a economia, mas também para a preservação ambiental.

“A legislação atual dá o direito da pesca para matar. Entretanto, essa prática degrada a natureza e causa forte impacto ambiental. Com a FishTV, passamos a conscientizar a modalidade de ‘pesque e solte’ e o quanto ela beneficia o ecossistema. Mas isso precisa alcançar mais pessoas”, afirmou Miyata.

Integração da pesca esportiva e pesquisa

Além das questões econômicas e ambientais, Luiz Marques da Silva Ayroza, diretor técnico de departamento do Instituto de Pesca, aproveitou a ocasião para destacar a necessidade de integrar cada vez mais a pesca esportiva e a pesquisa.

“Nossos pesquisadores monitoram e realizam pesquisas de espécies e condições ambientais em todo litoral paulista com intuito de oferecer informações mais precisas, contribuindo com o desenvolvimento da cadeia e também com essa modalidade de pesca. Esse encontro é muito importante nesse sentido e fecha a Semana do Peixe com chave de ouro”, completou Ayroza. 

Essa integração entre segmentos da cadeia produtiva, seja da pesca, pesquisa ou do consumo, é um dos pontos-chave apresentados para o desenvolvimento da atividade durante as diversas ações da Semana do Peixe que foram realizadas por todo o País.

“Nossa proposta é quebrar paradigmas. Na 14ª edição dessa campanha, buscamos levar isso às pessoas de diferentes formas”, afirmou Roberto Imai, diretor titular do Comitê da Cadeia Produtiva da Pesca e Aquicultura da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Compesca-Fiesp), que destacou também a importância da sustentabilidade para o crescimento da atividade como um todo.

A união entre pesca esportiva, indústria e produtor também foi destacada por Pedro Pereira, membro do Compesca. “Se conseguirmos obter e seguir os mesmos valores, todos serão beneficiados”, completou.

O ciclo de palestras do 1º Encontro de Pesca Esportiva do Litoral Paulista também contou com a participação de Adalberto Oliveira (Betinho), empresário de turismo e pesca esportiva e apresentador da FishTV; Renato de Paiva, superintendente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Ibama) em Goiás; Victor Hugo Braga, doutorando da Universidade Estadual Paulista (UNESP), além de Sérgio Luiz dos Santos Tutui e Thiago Dal Negro, coordenador e integrante do projeto Robalo Vivo do Instituto de Pesca, respectivamente.

Sobre a Semana do Peixe

A Semana do Peixe desenvolve um conjunto de ações com foco na cadeia produtiva de peixes e frutos do mar para estimular o consumo de pescado no país. A campanha incentiva ações promocionais no varejo e food service, eventos com a cadeia produtiva, oficinas educacionais para crianças, divulgação de materiais promocionais ao consumidor final, material promocional e educativo (receitas, melhores formas de preparo, como selecionar seu peixe), promoções em insumos, serviços e equipamentos para a cadeia produtiva, campanhas promocionais na pesca esportiva, entre outras ações. Mais informações: www.semanadopeixe.com.br.

Por Leonardo Chagas com informações da assessoria de imprensa Semana do Peixe

Revisão Márcia Cipólli

Mais informações:

Assessoria de Comunicação

Secretaria de Agricultura e Abastecimento

Instituto de Pesca

(11) 3871-7549 / (11) 3871-7588

cecomip@pesca.sp.gov.br

|Voltar|