APTA - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios

Notícia

 

20/10/2017
IAC transfere conhecimento sobre café a alunos do Curso de Classificação e Degustação de Café de Santos
Importante referência em café no Brasil todo, o Instituto Agronômico (IAC-APTA), de Campinas, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, recebeu, no último dia 6, uma turma de 15 alunos e dois profissionais de apoio do Curso de Classificação e Degustação de Café, da Associação Comercial de Santos. Eles foram recebidos pelo pesquisador do IAC, Gerson Silva Giomo, no Centro de Café “Alcides Carvalho”, localizado na fazenda Santa Elisa do IAC, em Campinas.

“O IAC foi criado para pesquisar o café, em 1887, e 55% das variedades de café do Brasil foram desenvolvidas no Instituto”, afirma Giomo, após a apresentação do vídeo institucional aos visitantes. O pesquisador também falou sobre o banco de germoplasma de café do IAC, que é o maior do Brasil, e os estudos sobre melhoramento genéticos já realizados há mais de 85 anos.

 O professor que trouxe o grupo ao IAC, Nilson Ribeiro, que também é classificador de café, trabalhou em uma empresa do setor por 53 anos. Segundo Ribeiro, por mais que possua muitos conhecimentos sobre o assunto, a visita traz aos alunos aprendizados que ele seria incapaz de transmitir na sala de aula. “No setor de café, o IAC sempre vem em primeiro lugar no fator de qualidade e de variedade. Pela quarta vez estamos aqui”, diz o professor.

Ele conta que o perfil das turmas de alunos é variado — há funcionários de empresas parceiras, cafeicultores que procuram despertar o interesse em seus filhos e até alunos que pretendem apenas saber mais sobre a cultura. Somente a turma de julho é composta por alunos exclusivamente estrangeiros, enviados por empresas que precisam de profissionais com habilidade em degustação de café. “Eu tive um aluno que era taxista e trabalhava em São Paulo, ele veio e passou um mês em Santos para aprender, só porque ele era apaixonado por café; mas recebemos também alunos do Japão, Suécia, EUA e até do Canadá”, diz.

Uma das alunas, Thaisa Takahashi, é engenheira agrônoma e filha de um produtor do Cerrado de Minas. “A empresa me enviou para fazer o curso e ter conhecimentos de qualidade de café”, conta. Já Alessandro Navarro veio com um propósito totalmente diferente. “Sou brasileiro e moro na Bolívia, meu objetivo é mudar a cultura de café de lá, a qualidade da bebida e da produção deles é péssima, quero levar os conhecimentos e grãos daqui e aplicá-los lá, com consultorias nas cafeterias”, afirma. O professor ressalta que alguns dos alunos estão tendo sua primeira experiência com café agora, mas que ao final do curso, todos sairão com conhecimentos da cultura e sabendo diferenciar as diversidades do café.

As pesquisas do IAC na área de café têm o intuito de desenvolver cultivares resistentes às pragas, ferrugens e nematoides, aliadas à excelência na qualidade de grãos e bebidas. “Os conhecimentos transmitidos visam à capacitação de profissionais de qualidade para nosso País, como recomenda o governador Geraldo Alckmin”, diz o secretário de Agricultura, Arnaldo Jardim.

O curso é oferecido pela Associação Comercial de Santos. Os interessados devem entrar em contato com a secretaria pelo telefone (13) 3212-8200 e podem verificar o regulamento no site: http://www.acs.org.br/

Por Ana Cláudia Chagas (estagiária) e Carla Gomes (MTb 28156)

Assessoria de Imprensa – IAC

|Voltar|