APTA - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios

Notícia

 

02/05/2018
IZ lança na Agrishow 2018 espaço Caminhos do Leite e inaugura Laboratório Móvel em Qualidade do Leite
Projetos desenvolvidos em sistemas de produção leiteira, agregando ganhos econômicos, sociais e ambientais em toda a cadeia produtiva do leite será o foco das ações do Instituto de Zootecnia (IZ-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, na Agrishow 2018. Os visitantes da Feira poderão conhecer o espaço Caminho do Leite e o Laboratório Móvel em Qualidade do Leite.

No Caminho do Leite, os visitantes caminharão pelo espaço e poderão conhecer o processo da produção de leite nos Sistemas Integrados de Produção Leiteira, realizados com animais das raças Holandesa PB, Gir, Girolando e Jersey. O espaço estará no estande da Secretaria da Agricultura com as ações de pesquisas nas áreas de nutrição e pastagens, comportamento e ambiência, melhoramento genético, sanidade e qualidade do leite.

Enilson Geraldo Ribeiro, pesquisador do IZ e diretor do Centro Experimental Central, explica que um sistema de produção leiteira é sustentável quando a produtividade e qualidade do leite e outras fontes de renda, dentro do sistema, geram maior renda ao produtor, além de proporcionar a mitigação dos gases de efeito estufa. “Os animais e as pessoas terão maior conforto, além de um convívio harmonioso com o meio ambiente”, afirma.

Segundo a diretora-geral do IZ, Renata Helena Branco Arnandes, o sistema de produção sustentável é uma alternativa ao produtor para aumentar a produtividade da terra, com padrões de preservação do meio ambiente, agregando valor ao produto final. “O produtor deverá buscar o modelo que melhor se adequar à atividade desenvolvida em sua propriedade”, destaca.

De acordo com o secretário da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Francisco Jardim, as tecnologias sustentáveis e produtivas trazem diversos benefícios para toda a cadeia do leite – do produtor ao consumidor. “Há redução de custos, produção mais rápida e a disponibilização para o consumidor de um leite de melhor qualidade. Além dos benefícios econômicos, o sistema ainda apresenta vantagens ambientais”, completa.

Para a realização do Caminho do Leite, o IZ recebeu apoio dos já parceiros dos trabalhos científicos do Instituto: CRV Lagoa, De Heus, e do GPB Leite (Grupo de Pecuaristas do Brasil) para o trailer do Laboratório de Qualidade do Leite IZ, que está inserido no Programa Leite Mais.


Laboratório móvel do IZ em qualidade do leite será inaugurado na Agrishow 2018


O Instituto de Zootecnia (IZ-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, lança na Agrishow deste ano um laboratório móvel, equipado para percorrer propriedades rurais e realizar análises da qualidade do leite. O IZ já possui dois laboratórios focados em trabalhos de monitoramento e estudos de técnicas e tecnologias para melhoria da qualidade da bebida. O novo laboratório busca aumentar o alcance dessas ações. Desde 2012, o Instituto trabalha na ampliação de suas pesquisas relacionadas a melhoria da qualidade do leite.

Durante a Feira, o pesquisador do Instituto, Luiz Carlos Roma Junior, divulgará resultados de pesquisas e técnicas para melhoria da qualidade do leite, envolvendo aspectos de manejo de ordenha, nutrição e sanidade. Todos os aspectos envolvem resultados de análise de leite e, para isso, também será exposto a importância do laboratório e das análises realizadas. Durante a Agrishow, o Instituto apresentará ainda os tipos de amostras de leite, para que servem e quais informações são colhidas a partir da correta amostragem. Os produtores também conhecerão quais informações podem ser extraídas da análise do leite com foco na melhoria da produção e da qualidade.

Todos os laboratórios do Instituto estão equipados para análise da composição e contagem de células somáticas, como na identificação bacteriana e antibiograma. Outras análises mais específicas de cada projeto também poderão ser realizadas em laboratórios das Universidades Estaduais parceiras como a Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiróz” (Esalq/USP) e Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA/USP).

Segundo o pesquisador, atualmente, os laboratórios do IZ monitoram e realizam estudos em mais de 110 propriedades de cinco regiões do Estado de São Paulo, como Ribeirão Preto, Franca, Piracicaba, Itapetininga e Piquete, em parceria com alguns Escritórios Regionais da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI).

O volume de leite monitorado nas pesquisas realizadas no Instituto de Zootecnia passam dos 610 mil litros mês de leite de vacas e búfalas. Mais de 2200 animais são monitorados mensalmente. “Sempre buscando o aprimoramento da atividade e da qualidade, o IZ divulga os resultados de pesquisa aos produtores, para fortalecer a transferência de tecnologia entre todos os elos da cadeia agroindustrial do leite no Estado de São Paulo”, afirma Roma.

Com a chegada do laboratório móvel, o Instituto busca aumentar a área de abrangência para realizações de pesquisas em mais regiões do Estado e transferir os resultados de pesquisas e as novas tecnologias desenvolvidas.

O aumento nas áreas de pesquisa no Estado pode também auxiliar os pesquisadores sobre as áreas que poderão focar seus esforços de pesquisas para auxiliar o criador em como produzir mais e com maior qualidade. As pesquisas do Instituto envolvem aspectos de nutrição, sanidade, ordenha e manejo dos animais – todas com foco em qualidade e sustentabilidade da produção leiteira. Os trabalhos são realizados nas dependências do Instituto, em unidades produtivas e de pesquisas parceiras

Transferência de Tecnologia

Uma área tão importante quanto a pesquisa é a transferência de tecnologia para o produtor rural. “Levar aos agricultores novos conhecimentos, habilidades e técnicas, geram benefícios econômicos e sociais à atividade, melhorando a qualidade de vida do produtor rural, em especial quando se trata de agricultura familiar”, enfatiza Roma.

Segundo o pesquisador, o Instituto vem realizando pesquisas para quantificar o impacto da transferência de tecnologia para os produtores leiteiros sobre a qualidade do leite. “Um dos estudos, financiado pela Fapesp, envolveu 240 pequenas propriedades da região de Ribeirão Preto, que durante 12 meses foram avaliadas em termos de qualidade do leite, como gordura, proteína, extrato seco desengordurado (ESD), contagem de células somáticas (CCS) e contagem bacteriana total (CBT)”, explica.

Do total, 60 fazendas foram acompanhadas pela assistência técnica, treinada pelo IZ, para melhoria da qualidade do leite. As outras 180 fazendas foram apenas avaliadas sem qualquer assistência técnica treinada.

Roma destaca que a diferença entre os dois grupos foi significativa para todos os componentes do leite, especialmente para CCS (sanidade) e CBT (higiene). Houve melhora para amostras em conformidade com a legislação.

O resultado foi conseguido sem a imposição ou ajuda financeira externa, apenas recebendo orientações sobre as melhorias. “Isso faz com que o resultado seja mais significativo, mostrando a vontade do produtor em querer melhorar a qualidade e sua atividade”, completa o pesquisador.


Caminho do Leite é um dos destaques da Agrishow

Workshop na 5ª feira (3/5), no Centro de Cana do IAC, discutirá os diversos aspectos para a produção sustentável de leite


Como tornar o sistema de produção leiteira cada vez mais sustentável é um dos objetivos do Workshop “Caminhos do Leite”, que será realizado na quinta-feira, 3 de maio, a partir das 14h, no Centro de Convenções da Cana-de-Açúcar do Instituto Agronômico (IAC), durante a Agrishow 2018.

“Um sistema de produção leiteira é sustentável quando a produtividade e a qualidade do leite e outras fontes de renda dentro do sistema proporcionam uma maior renda ao produtor. Buscar essa produção sustentável é a alternativa ao produtor para aumentar a produtividade da terra, com padrões de preservação ambiental, agregando valor ao produto final. Dessa forma, o produtor deverá buscar o modelo que melhor adequar a atividade desenvolvida em sua propriedade e é isso que vamos discutir no Workshop ‘Caminhos do Leite’”, destaca a diretora geral do Instituto de Zootecnia, Renata Helena Branco Arnandes.

A programação terá início às 14h com a apresentação da palestra “O que é o leite A2?”, que será proferida pelo pesquisador do IZ, Anibal Eugênio Vercesi Filho, para mostrar o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo Instituto para seleção de genotipagem dos animais para os alelos da beta-caseína A (A1 e A2), visando selecionar matrizes que produzam leite contendo a beta-caseína A2, proteína altamente relacionada aos benefícios decorrentes do consumo de leite à saúde humana, associada à manutenção dos níveis adequados de colesterol, manutenção de níveis glicêmicos e diminuição da incidência de alergia.

O médico veterinário Francisco Otaviano Fonseca Oliveira, especialista produto Leite Europeu da CRV Lagoa tratará da “Saúde e eficiência para a sustentabilidade dos sistemas de produção de leite”, seguido por Thiago Petrolini, coordenador técnico comercial leite da Trouw Nutrition, que tratará de “Criação de bezerras: custo ou investimento?” e Bruno Scarpa Nilo, gerente de produto leite da GENEX Brasil, que abordará o tema “Índices compostos - rentabilidade em foco, a seleção mais assertiva dos touros”.

Às 16h, a pesquisadora do IZ, Luciana Gerdes fará uma apresentação a respeito das variadas formas de produção de leite nos sistemas integrados, demonstrando viabilidades técnica e econômica, além de benefícios ecológicos e ambientais, como ciclagem de nutrientes, cobertura do solo, fixação de carbono, conservação do solo e da água, modificação do microclima, bem-estar animal e redução na emissão ou melhoria no balanço de gases de efeito estufa – metano e óxido nitroso –, gerando, dessa forma, serviços ambientais.

O diretor executivo na Rede de Fomento à Integração Lavoura Pecuária Floresta (ILPF), William Marchió, referência em difusão da utilização da intensificação sustentável da pecuária, apresentará a palestra “Parceria Público Privada auxiliando na difusão da intensificação”. Para fechar as discussões, o médico veterinário Sergio Soriano, gestor da Fazenda Colorado (Araras/SP) há 24 anos, fará a apresentação “Gestão de pessoas melhorando os processos e os resultados na produção de leite”.

Um debate entre os palestrantes será mediado pela diretora geral do IZ, Renata Helena Branco Arnandes.

A programação do Workshop se encerra com a apresentação “A Agroindústria de Pequeno Porte”, proferida por Cesar Daniel Krüger, diretor do Centro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Cipoa), da Defesa Agropecuária e Serviço de Inspeção de São Paulo (SISP), e com uma degustação de diversos tipos de queijos e vinhos produzidos por vinícolas paulistas.

Campanha #SomosdoLeite

O evento marca ainda o lançamento da campanha #SomosdoLeite, que visa fortalecer a atividade e valorizar os benefícios tanto econômicos da produção leiteira como também do produto leite para a saúde e bem-estar da população. “Inspirados no sucesso da campanha #SomosdaCarne, que vimos trabalhando há vários anos para valorizar a pecuária de corte brasileira, lançaremos durante a Agrishow a campanha #SomosdoLeite com o objetivo de engajar os envolvidos na pecuária de leite a valorizar a atividade”, destaca Carla Tuccilio, diretora do Terraviva Eventos, que realiza o Workshop Caminhos do Leite junto com a Revista Balde Branco, Instituto de Zootecnia (IZ), Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA) e Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo. Apoiam a iniciativa CRV Lagoa, De Heus, GENEX, GPB Leite e Trouw Nutrition.

Antes de iniciar a programação do Workshop, às 13h30 haverá a assinatura de um acordo de colaboração técnica entre a APTA, órgão vinculado à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, e o Canal Terraviva, do Grupo Bandeirantes de Comunicação.

Percorrendo o Caminho do Leite

Os visitantes desta edição da Agrishow terão a oportunidade de percorrer o “Caminho do Leite”, instalado no espaço da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo e saber mais sobre a produção de leite nos sistemas integrados com novilhas das raças Holandesa PB, Gir, Girolando e Jersey.

No “Caminho do Leite” o público poderá conhecer as ações de pesquisas com rebanhos leiteiros, relacionadas às áreas de nutrição e pastagens, comportamento e ambiência, melhoramento genético, sanidade e qualidade do leite. 

SERVIÇO

Workshop Caminhos do Leite

Data:
03 de maio de 2018 (quinta-feira)

Horário: A partir das 13h30

Local: Centro de Convenções da Cana-de-Açúcar, do Centro de Cana do IAC (Rodovia Antonio Duarte Nogueira, km 321 - Anel Viário Contorno Sul – Ribeirão Preto)

|Voltar|