APTA - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios

Notícia

 

18/06/2018
Instituto Biológico recebe tese de pesquisa que marcou a criação do instituto
O Instituto Biológico (IB-APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (SAA), recebeu em 16 de maio de 2018, uma cópia da tese "Estudo sobre o método de introdução da vespa de Uganda Prorops nasuta Waterston (Hymenoptera: Bethylidae) como parasita e verificação dos seus efeitos na forma de proteção e eliminação dos insetos Hypothenemus hampei Ferrari, 1867 (Coleoptera: Ipidae) que perfuram os frutos de café nos locais de plantação", escrita por Kiyoshi Yamamoto e defendida, em 1951, na Universidade de Tóquio. A pesquisa, realizada em parceria com pesquisadores do IB, apresenta resultados a respeito da vespa da Uganda, usada para o controle biológico da broca do café, que causa a queda da qualidade do produto, pelos grãos apresentarem danos diretos, sendo destruídos parcial ou totalmente. O documento tem 210 páginas e foi escrito a mão.

Os integrantes da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Bunkyo), Masato Ninomiya e Guenji Yamazoe, foram os responsáveis por entregar a tese ao instituto. “A Sociedade foi fundada pelo Kiyoshi Yamamoto e possui um prêmio destinado a um pesquisador científico japonês que possui destaque no Brasil. No ano passado, quando o instituto completou 90 anos, eles se lembraram da tese escrita pelo Yamamoto e pensaram em presentear o Biológico com ela, porque pesquisadores do IB auxiliaram nos estudos presentes no documento”, disse a pesquisadora e diretora-substituta do IB, Ana Eugênia de Carvalho Campos.

Os integrantes da Bunkyo começaram a procurar a tese no Brasil, mas ela não foi encontrada. “Eles lembraram que a pesquisa havia sido defendida na Universidade de Tóquio. Então, Masato Ninomiya, docente aposentado da Universidade de Tóquio, decidiu procurá-la no país asiático”, contou Ana Eugênia.

"A dissertação foi encontrada na Universidade de Osaka, mas o Ninomiya não teve permissão para tirar cópia na íntegra do material, por causa dos direitos autorais. Então, ele pediu que um renomado político do Japão o auxiliasse no pedido junto à universidade. Com esta ajuda foi possível obter uma cópia inteira que foi, então, finalmente, entregue ao Instituto Biológico”, explicou a pesquisadora do IB.

“É importante para o IB ter essa tese, pois foi uma das primeiras divulgações científicas no Brasil a respeito da vespa da Uganda, usada como controle biológico da broca do café, em meados começo do século XX, auxiliando a cafeicultura nacional. O trabalho foi feito em conjunto com pesquisadores do instituto, mostrando uma ligação estreita com a formação e o início do IB”, disse Ana Eugênia.

De 1928 a 1929, Arthur Neiva desenvolve trabalho de controle biológico utilizando a vespa de Uganda, a Prorops nasuta, parasita de larvas e pupas de Hypothenemus hampei. Um dos primeiros controles biológicos de pragas na agricultura do Brasil é feito por Adolph Hempel, assistente chefe da Seção de Entomologia e Parasitologia Animal do Instituto Biológico, quando trouxe de Uganda as mesmas vespas, inimigas naturais da broca do café. A ele se deve os primeiros trabalhos de aclimatação desse inseto no Brasil. Procurou-se atingir mais de 1.300 fazendas com um total de 50 milhões de cafeeiros.

Cerimônia

A entrega da tese foi realizada em 16 de maio de 2018, em uma cerimônia no instituto com integrantes da Bunkyo, comunidade de pesquisadores japoneses que integram o IB, entomologistas, Comissão Kiyoshi, neto do autor da tese, Luiz Toshio Yamamoto, e dois veículos de comunicação do Japão.

“Esta tese foi muito importante para meu avô e minha família. Acho que sua vinda ao Brasil ajudará os estudos do País com controle biológico”, afirmou Julio Mikio Yamamoto, também neto do Kiyoshi Yamamoto.

A tese foi incorporada ao Centro de Memória do IB e poderá ser consultada por visitantes. “Ele ficará em uma parte reservada, mas quem quiser ler, será permitida a consulta no local”, disse a pesquisadora do IB, Márcia Maria Rebouças.

Centro de Memória do Instituto Biológico

O Centro de Memória do Instituto Biológico é composto por cerca de 180 mil documentos textuais de cientistas, 60 mil fotografias, sete mil slides em vidro, 2.500 ilustrações científicas originais e três mil documentos sobre arquitetura. O Centro é certificado com a norma ISO 9001:2008 para escopo de “Gestão de documentos históricos”. O IB e o Instituto Butantã, da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, são os únicos institutos de pesquisa do Estado que possuem centros de memórias.

“O Centro de Memória é importante porque a memória faz parte da nossa vida. O futuro faz parte do passado, e quem não tem memória, não tem um futuro”, afirmou Márcia. O acervo pode ser consultado por meio de agendamento. Os interessados podem entrar em contato pelo telefone 11 5087-1703 ou reboucas@biologico.sp.gov.br.

110 anos da Imigração Japonesa

A entrega da tese ao Instituto ocorre no ano em que são comemorados os 110 anos da imigração japonesa no Brasil. Para celebrar, foi entregue uma homenagem ao vice-cônsul do Japão, Naoki Nakano.

O IB também realizou o plantio de três cerejeiras durante o evento Sabor da Colheita, em 24 de maio de 2018, que contou com a presença do vice-cônsul do Japão, o Secretário da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Francisco Jardim, o coordenador da APTA, Orlando Melo de Castro, o diretor do IB, Antonio Batista Filho, o presidente da República de Vila Mariana, Walter Taverna, o neto de Kiyoshi Yamamoto, Júlio Mikio Yamamoto, e Guenji Yamazoe, presidente da Comissão de Prêmio Kiyoshi Yamamoto.

Por Giulia Losnak (estagiária)

Assessoria de Imprensa - APTA

19 2137-8933

|Voltar|