APTA - Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios

Notícia

 

22/06/2018
IEA divulga o ranking do VPA Regional de 2017
2017 foi um ano doce para a principal cultura agrícola paulista. Emplacando um crescimento de 10,8% no Valor da Produção Agropecuária (VPA), em relação a 2016, a cana-de-açúcar mantém a primeira posição no ranking, gerando sozinha R$ 31,1 bilhões, montante que corresponde a 40,8% de toda a riqueza produzida em São Paulo, estimada pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA) em R$76,2 bilhões. Essa boa performance garantiu renda expressiva para mais da metade das regiões pesquisadas.

“Dos 21 Escritórios de Desenvolvimento Rural (EDRs) que alçaram posição no ranking, 17 deles têm a cana-de-açúcar como principal cultura. Contudo, o VPA desta cultura aparece entre os cinco de maior valor em 33 das 40 regiões do Estado”, afirmam José Roberto da Silva, Paulo José Coelho, Denise Viani Caser, Carlos Roberto Ferreira Bueno, Danton Leonel de Camargo Bini e Eder Pinatti, pesquisadores do IEA responsáveis pelo artigo.

De acordo com os autores, o EDR de São João da Boa Vista, que em 2016 ocupava a 1ª colocação no ranking estadual, cedeu lugar para o EDR de Barretos. Essa queda de posição pode ser em parte, atribuída à redução da produção de café, decorrente da bienalidade, característica dessa cultura. O EDR de São José do Rio Preto, onde também o VPA da cana-de-açúcar ocupa a 1ª posição, saltou da 8ª para a 5ª colocação. Além da elevação do valor da cana-de-açúcar, contribuíram para isso as elevações nos VPAs da borracha e da laranja para indústria. Esses valores compensaram a queda do VPA dos produtos mais importantes regionalmente: carnes bovina e de frango.

Altas e baixas

Os EDRs de Assis, Tupã e Marilia galgaram posições não só em função da cana-de-açúcar, mas também por serem os únicos onde a mandioca para indústria se encontra entre os cinco produtos de maior VPA em 2017, elevação em nível estadual de 61,73%, basicamente em função da recuperação dos preços da raiz, superado apenas pelo casulo. O VPA do ovo de galinha ocupa a 1ª posição apenas no EDR de Tupã, o qual responde por quase 60% do total regional e também junto com o valor da cana-de-açúcar, colaborou para que o VPA regional saísse da 13ª para a 11ª posição. Em 2017, o preço dos ovos apresentou valorização, além de aumento na produção, ambos em 6%, aproximadamente.

A regional de Registro tem na banana como principal produto e a queda de 20,2% no seu VPA estadual responde pelo VPA regional ter caído da 24ª para 30ª posição no ranking estadual, um dos maiores declínios entre as 40 regionais. O EDR de Franca perdeu 11 posições, em função das quedas ocorridas nos VPAs de café (30,59%), carne bovina (9,26%) e de frango (7,63%), produtos estes cujos VPAs encontram-se entre os cinco principais da regional.

Metodologia

O cálculo do VPA é elaborado a partir de dados de produção e preços das cadeias de produção animal e vegetal de 50 produtos selecionados, levantados pelo IEA, em parceria com a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), ambos vinculados à Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. As informações de produção são obtidas de cinco levantamentos anuais por município, de previsões e estimativas de safra. Os preços são extraídos do Banco de Dados do IEA. Os dos produtos olerícolas e os de frutas, excetos os de batata, cebola, mandioca para mesa e tomate, assim como os de banana, laranja e tangerina, são os da Companhia de Entreposto e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), ponderados por variedades para cada espécie e decompostos a partir dos preços de venda do atacado. Os preços são as médias mensais correntes dos preços recebidos pelos produtores de janeiro a dezembro. Esse conhecimento é importante para os diversos agentes econômicos, na gestão de seus negócios, e para os órgãos públicos, na elaboração e acompanhamento das diversas políticas públicas.

Para ler o artigo na íntegra, consultar a posição do EDR no ranking do Estado e visualizar os principais produtos de cada região, clique aqui.

Por: Nara Guimarães

|Voltar|